La Musa Malasaña em Madrid

VIAGENS GASTRONÔMICAS

Sempre que eu viajo para algum lugar procuro aqueles restaurantes onde os moradores locais se abastecem. Fugir da rota turística quando se trata de gastronomia é o melhor conselho que eu posso te dar. Além dos pratos serem muito mais em conta, o sabor é genuíno. E eu sou da opinião que a gente tem que provar tudo. Pode não gostar, mas tem que provar.

A questão é: como achar esses lugares? Há duas opções: ou tu te atiras em pesquisas na internet, ou então segue a sugestão dada pelo meu amigo portuga, dono do Tuim (post sobre clássicos de Porto Alegre) – entra em alguma loja de artigos NÃO TURÍSTICOS e pergunta onde o cidadão vai quando quer comer bem e pagar pouco. Não tem erro.

Apesar disso, a minha história envolve uma amiga que fez o intermédio com os locais. Quando fomos a Madrid, em um dos passeios, conhecemos uma carioca muito simpática – a Paula. Ela, por sua vez, conhecia um madrileño que a tinha levado em um restaurante muito legal. E é aí que a experiência se inicia.

Um pouco sobre histórias e lendas

Com a indicação da Paula, fomos até o “La Musa”, na calle Manuela Malasaña, 18. O restaurante é especializado em tapas nada tradicionais. O lugar preza a criatividade nos pratos, combinando um atendimento acolhedor a um ambiente bem descontraído. Entendi porque os locais são fãs desse lugar.

A Paula nos contou que o tal madrileño que levou ela no restaurante disse que o nome do bairro Malasaña é uma homenagem à Manuela Malasaña, que também dá nome a rua. Eu me apaixonei pela história e isso contribuiu para a experiência ser ainda mais interessante.

Há muitas versões para a lenda da Malasaña. Certo é que ela foi uma mulher guerreira, que morreu lutando bravamente contra o domínio francês. Parece que ela combatia os soldados franceses jogando azeite quente pela janela, mirando nos inimigos. A mulher se tornou lenda e “musa” do bairro, dando nome ao restaurante.

fullsizerender-52

As tapas do “La Musa”

Bueno, vamos ao que interessa. O menu do “La Musa” tem muitas opções de tapas, mas fomos na dica que o madrileño deu e pedimos a degustación de tapas, por justos 30 euritos. A degustação é recomendada para duas pessoas, mas a Paula tinha nos dito que é tão bem servido que poderíamos comer os três – eu, meu pai e minha mãe.

la-musa-1

Optamos por experimentar, e pedimos umas croquetas de jamón para dar aquela forradinha no estômago. A medida foi certeira.

Trouxeram nossas croquetas e uma entradinha com pães crocantes, uma pastinha de beterraba e as azeitonas mais verdinhas e deliciosas que já comi na vida. Tudo isso acompanhado de um chope geladinho. Ficamos animados com o começo da experiência.

fullsizerender-53

 

Em seguida, as primeiras tapas:

ensalada de codorniz: saladinha de folhas, cebola roxa, castanhas e codorna desfiada

hummus de berenjena: húmus de berinjela, sour cream e azeite de oliva para comer com nachos. Muito saboroso.

salmón curado: salmão levemente defumado, guacamole, sour cream e crocante – o favorito da primeira rodada.

tataki de solomillo: tataki de lombo com damascos e farofinha. Adoramos!

Processed with Snapseed.

Depois, a segunda rodada – ainda melhor!

bomba de patata: era tipo um croquete de batata recheado com carne moída, aioli delicioso em cima, e toque de molho entre um ketchup e um barbecue. Em baixo ainda tinha um molhinho que parecia pesto de manjericão. A bomba de patata foi a preferida por unanimidade de votos na nossa pequena mesa.

croqueta 2.0: essa é uma croqueta desconstruída. Ela vinha no potinho de vidro: jamón picadinho, molho e crocantes em cima. Apesar de eu preferir a croqueta tradicional, a experiência é interessante.

pisto de maribel: um ratatouille diferente, com ovo de codorna frito em cima e molho vermelho.

carrilleras con setas: carne de bochecha – só descobri depois o real significado de carrilleras, mas comeria de novo – com cogumelos levemente adocicados. Tudo isso gratinado numa panelinha fofa. Uma delícia!

Processed with Snapseed.

A idéia de ir provando e compartilhando todos esses pratos criativos é muito boa. Foi uma experiência sensacional, mas ainda tinha a degustacíon de postres que estava por vir. Fechando com chave de ouro a nossa visita, fomos surpreendidos com um lindo conjuntinho de três sobremesas: cheesecake de framboesa, creme de manga com morangos e brownie com caramelo. Muito amor pela Musa Malasaña.

Processed with Snapseed.
degustación de postres

Realmente, os locais sabem onde comer bem na sua cidade. O La Musa é um grupo de cinco restaurantes, cada um com a sua peculiaridade. A musa Malasaña é ainda mais especial por conta da lenda que carrega no nome e pela criatividade da cozinha que oferece. Uma das experiências mais legais da viagem!

By   -   dez 3, 2016   -   0 Comment
YOU MIGHT ALSO LIKE